O amor está na mesa: A gastronomia unindo arte e paixão

 
É interessante perceber que há uma tradição histórica da gastronomia que se funde com a própria travessia do homem. Assim, a comida encontra-se representada na pintura, na escultura, na fotografia, mas é, também, um componente que tem despertado, desde sempre, o interesse da sétima arte. Nesse percurso, tanto há filme que é capaz de sensibilizar o nosso paladar através da imagem, como há outros que aguça o nosso apetite e nosso desejo. Há, em nossa sociedade, a produção emergente de filmes gastronômicos que tem abordado a gastronomia ou como metáfora, ou como metonímia, assim como as relações e emoções do ato de cozinhar, que se fundem com as culturas e os sentimentos amorosos.
 
No campo dessas temáticas, destaca-se, aqui, “O Amor Está na Mesa” (American Cuisine), dirigido pelo cineasta francês Jean-Yves Pitoun, que assina, também, o roteiro. Trata-se de uma deliciosa comédia romântica, que faz uma imersão na culinária francesa, ambientada com as confusões, as paixões e os sonhos de um jovem cozinheiro americano. O filme tem como foco a atuação brilhante do chef que desperta a curiosidade para o público gourmet, aspirantes a chefs e donos de restaurantes. Em linhas gerais, “O Amor está na Mesa” se baseia na conflituosa relação entre culturas culinárias diferentes: um chefe americano que procura conviver com um tradicional chefe francês em seu restaurante. 
 
A história se desenvolve através do enredo do jovem cozinheiro Loren (Jason Lee) que serve os mais requintados pratos na Marinha americana. Após discutir com um dos oficiais, o jovem é expulso da corporação, vende sua motocicleta e segue rumo à França, onde consegue uma vaga em um dos mais badalados restaurantes da França, comandado por conhecido chef Louis Boyer (Eddy Mitchell) e sua filha Gabrielle (Irène Jacob).
 
Diante desses acontecimentos, o que parecia ser um sonho, pode tornar-se realidade. De perfil jovem e sensível, Loren conquista o grande mestre, dividindo com ele as paixões em comum: cozinha, moto e basquete. É no dinâmico universo das cozinhas, entre cortes nas mãos e pratos jogados no lixo, que o cozinheiro ganha a aceitação de seus colegas e da cativante  Gabrielle (Irene Jacob), filha de Boyer, por quem se apaixona. Percebe-se que, e no desenrolar da história, além de provar que tem talento, Loren assume, também, o desafio, de ajudar o chef a driblar os críticos gastronômicos, para a casa não perder as estrelas, e Boyer pagar as dívidas. Vale a pena conferir essa trama que envolve a arte de cozinhar e seduzir o paladar e o coração!
 
FICHA TÉCNICA
Títulos Alternativos: American Cuisine
Gênero: Comédia
Duração: 92 min.
Tipo: Longa-metragem / Colorido
Diretor(es): Jean-Yves Pitoun
Roteirista(s): Jean-Yves Pitoun
Elenco: Jason Lee (1), Eddy Mitchell, Irène Jacob, Isabelle Petit-Jacques, Sylvie Loeillet, Thibault de Montalembert, Anthony Valentine, Michel Muller (1), Isabelle Leprince, Laurent Gendron, Gérard Chaillou, Lyes Salem, Linda Powell, Skipp Sudduth, David Gabison
 
 

Outros Artigos

> leia mais

Comentários

Deixe seu comentário