Legado gastronômico

A Copa 2014 passou e muito se tem falado sobre os legados deixados por esse evento mundial. Evidentemente que as cidades sede, foram contempladas com inúmeros projetos de arquitetura, mobilidade, sedes desportivas, investimentos de infraestrutura e, principalmente, no acolhimento do turista.

Mas em se tratando dos munícipes, o que ficou? Como os cidadãos que residem na cidade e no Estado, poderão desfrutar desses legados daqui pra frente? No segmento de hospitalidade, viu-se um investimento no capital humano, com treinamentos, capacitações, cursos, com a participação de entidades do governo e da sociedade civil. Ótimos resultados!
 
Constata-se, a partir de então, uma série de procedimentos e atitudes, tomadas pelos empresários em seus restaurantes, com a contratação de pessoal, investindo na criatividade dos seus profissionais, tornando as suas operações mais atrativas, rentáveis e com a possibilidade de permanência no mercado da gastronomia. Os restaurantes, por exemplo, passaram por inspeções sanitárias, com classificações que dão ao consumidor, um pouco mais de segurança ao consumir os produtos ali oferecidos.
 
Para os profissionais da área da gastronomia, a oportunidade de colocarem seus talentos à vista do mundo todo, pois todos os que aqui estiveram, levaram consigo a lembrança gastronômica dos melhores dias na cidade. 
 
Da tapioca ao camarão, da cerveja gelada na praia à ginga com tapioca, da rusticidade da cozinha nordestina e potiguar aos produtos de gastronomia “fusion” escolhida por chefes nativos ou mesmo de fora. Então, o legado gastronômico da Copa 2014 deve permanecer. Todos os processos adquiridos e implementados nos estabelecimentos de restauração não podem ser perdidos pela falta de continuidade. 
 
Os profissionais não podem retornar ao vício da profissão mal desenvolvida e fincada ainda em alguns. Os empresários devem continuar a investir em seu capital humano, em suas empresas e acreditar que esse legado é e será perene, desde que toda a sociedade civil participe e os governos incrementem ações constantes no turismo, nos eventos, nas empresas e na cidade como um todo. 
 
E, ainda, para finalizar e coroar esse legado,  o Ministério da Cultura publica no Diário Oficial da União a portaria que homologa o tombamento do Conjunto Arquitetônico, Urbanístico e Paisagístico do Município de Natal. Assim, a nossa Natal passa a fazer parte, de uma vez por todas, dos melhores destinos turísticos do mundo!
 
Claro que ainda precisamos melhorar em muitos aspectos, porém estamos no caminho e devemos acreditar em um futuro melhor para a nossa linda cidade do Natal.
 
 

Outros Artigos

> leia mais

Comentários

Deixe seu comentário