E essa história de pão francês?

 
Ao entrar em uma típica bounlangerie francesa, seus sentidos vão se deliciar com baguettes, croissants e pains au chocolat. Mas se você está esperando encontrar um bom pãozinho francês, sinto informar-lhe, vai ser bem difícil.

 

Não, querido leitor, não existe "pão francês" na França. Aliás, esse pãozinho é bem brasileiro, e tem origem na década de 1910, auge da Belle Époque parisiense. Se você assistiu ao filme Meia Noite em Paris, vai se lembrar bem: Paris se tornou um grande centro da arte, com uma concentração estonteante dos melhores escritores, pintores e estilistas do mundo. E onde esses intelectuais se encontravam? Nos cafés parisienses, é claro, o que ajudou a cidade a se transformar na capital mundial da culinária.

 
Ir a Paris pelo menos uma vez ao ano era obrigatório para quem quisesse ficar por dentro das maiores novidades... como a elite brasileira! Quem voltava de viagem, além de reproduzir a moda e os costumes observados, encomendava à padaria um pão diferente, com casca dourada e miolo branco e mole. Os padeiros faziam o possível para satisfazer seus clientes, mas, sem a receita original, acabaram criando um pão novo, que levava açúcar e gordura na massa.
 
E que pão os brasileiros estavam tentando imitar? O verdadeiro pão francês: a baguette. Ou melhor, um precursor dela, feito somente com farinha de trigo, água, fermento e sal.
 
Essa palavra francesa significa "vareta" e é usada em vários contextos, como baguette magique (varinha mágica), baguetta chinoise (hashi chinês), ou baguette direction (batuta de maestro), e só batizou o famoso pão em 1920. No entanto, desde a metade do século 18, a França já tinha pães compridos e fininhos... alguns chegavam a quase dois metros!
 
Hoje, a baguette é considerada o pão mais característicos da França, e pode estar presente em todas as refeições. É costume local, tanto nas casas dos franceses como nos cafés e restaurantes, servir baguettes como acompanhamento dos pratos. Nas padarias, tem para todos os gostos: tradicional, integeral, com cereais... Já nas ruas, os turistas sonham em ver um típico francês carregando uma baguette em baixo do braço. A boa notícia é que essa é uma tarefa bem mais fácil do que encontrar um "pão francês" em Paris.
 
 

Outros Artigos

> leia mais

Comentários

Deixe seu comentário