A "comida de rua" invade Paris

Em um país em que a culinária é patrimônio cultural, é de se esperar que a alta gastronomia dos cafés chiques e restaurantes estrelados seja a norma. Mas não é que a street food é notícia em Paris?
 
A mais nova moda ganhou destaque no último fim de semana de setembro, com o Street Food Temple, um festival culinário voltado para as comidas de rua. O evento foi apadrinhado pelo famoso chef francês Thierry Marx e teve a presença dos food-trucks mais badalados de Paris, incluindo hambúrguer, cachorro-quente, batata frita, comida asiática, sorvete e até crepe.
 
Além da culinária, também aconteceu uma exposição de modelos antigos de carrinhos de vendedores de rua, além de uma gama de outras atividades, como DJs, competições esportivas, shows, e até ateliers de culinária. Permeando tudo isso, a atração principal foi, sem dúvidas, a “comida de rua”.
 
 
Considerada “baixa gastronomia”, esse produto parte de um conceito bem simples: lanches rápidos e baratos, para serem saboreados sem perda de tempo e sem ser preciso sentar-se à mesa. Essa prática, que dizem ter origem na Grécia Antiga, atualmente é muito popular por todo o planeta, especialmente em países asiáticos e nos Estados Unidos. Na França, apenas nos últimos anos os chefs locais aceitaram o desafio... mas mudaram um pouco as regras do jogo para agradar ao exigente paladar francês, claro! Enquanto em outros países a comida vendida na rua pode ser minimamente desconfiável, por aqui é exigido muito cuidado, e os produtos utilizados geralmente são sempre frescos e de alta qualidade. O resultado é que os food-trucks ganharam popularidade rapidamente, passando a constituir verdadeiros restaurantes sobre rodas.
 
 
E essa acaba sendo outra curiosidade francesa: devido à mobilidade fácil, os food-trucks geralmente mudam de endereço a cada dia. Logo, seus fãs precisam seguir o itinerário pelas redes sociais.
 
O Street Food Temple foi uma ótima oportunidade para encontrar todos os novos queridinhos do público parisiense, reunidos no bairro do Marais. Estavam presentes, entre outros: o hambúrguer cult do Camion Qui Fume, o fish & chips do Sunken Chip, e a versão móvel da famosíssima creperie Breizh, que geralmente só circula fora de Paris. Quem participou teve uma oportunidade ímpar para provar e aprovar. Até a baixa gastronômia, na França, é alta.
 
 

Outros Artigos

> leia mais

Comentários

Deixe seu comentário