Champagne com gelo?

 

Depois que o Patricio Tápia recomendou beber vinho tinto diluídos com gelo ou água nos dias quentes em um artigo no jornal Chileno El Mercurio, temos que reavaliar alguns conceitos. Para os que discordam, Tápia argumenta que os enólogos adicionam água no vinho quando querem baixar o grau alcoólico, porque nós, simples mortais não podemos fazer o mesmo? Bom argumento não? 

Para alguns é o fim dos tempos.
 
Uma bomba, não?
 
Imagino alguns leitores torcendo o nariz e se protegendo atrás da nobre e antiga etiqueta do vinho. Realmente muita coisa está mudando e rapidamente.
 


Tápia começa o artigo escolhendo o estilo dos vinhos para suas “vacaciones”, tintos ligeiros, suaves e frescos, bons para o calor e que possam ser bebidos com pescados. Diz que durante muitos anos renegou os costumes transandinos de misturar gelo ou água no vinho, mas que agora, “he cambiado de opinión”, faz a ressalva que essa pratica só é recomendada para vinhos mais simples “de precio módico” e durante los “calores infernales” que assolam Mendoza e arredores no verão. Recomenda cuidados para não destruir vinhos mais sofisticados com essa prática.
 
Correndo o risco de pedirem a sua cabeça, Patricio recomenda com gelo as seguintes marcas: Casilero del Diablo da Concha y Toro, 35 Sur da San Pedro, Cono Sur Bicicleta, Don Luis da Cousino Macul, Las Mulas de Miguel Torres, Estrella de Oro da Santa Carolina, Doña Dominga da Casa Silva, Insigne de Carmen, os Reserva Ventisquero e a linha Reserva da Viu Manent. Segundo ele, esses vinhos tem dois pontos em comum: são relativamente baratos e são superconcentrados com gosto a fruta. Assim não faria mal colocar uns cubos de gelo neles. Não tenho dúvidas de que vão pedir a cabeça do Tápia. A não ser que essa pratica vire moda e aumente as vendas, afinal tudo é Business. “Y si los comensales se escandalizan, usted diga que lo leyó em wikén”. Fazendo referencia ao suplemento do jornal chileno El Mercurio onde ele escreveu o artigo “VINO TINTO CON HIELO?”.
 
Outro produto que vem da França para quebrar os paradigmas (quebrar o gelo?) é o Moet Ice Imperial, o  lançamento da Möet & Chandon para beber com gelo. Isso mesmo, você não leu errado! Dá pra perceber que as coisas estão mudando e rapidamente? Dessa vez o lançamento vem de uma das mais importantes casas de Champagne. O lançamento mundial conta com um video sofisticado e uma política de distribuição cuidadosa. A Möet escolhe em cada estado do Brasil as poucas casas que podem trabalhar com o produto, garantindo assim, um trabalho focado.
 
O video de divulgação não foge ao padrão, com iates luxuosos, resorts sofisticados, champagne bebido em taças largas de vinho, adicionado gelo e folhas de hortelã.
 
 
  • Antônio Alves

Outros Artigos

Vinhos laranja, de volta ao começo

  Os vinhos laranja são a nova mania entre os apreciadores e sommeliers bem informados por incluir uma nova dimensão de sabor aos vinhos tradicionais e, especialmente, por ampliar as possibilidades de harmonizações com a comida.  Os vinhos laranja são intensos nos aromas e nos sabores, complexos e arrebatadores, apresentando sempr...

Champagne com gelo?

Cinco pontos fazem diferença

Bem, para esses dilemas eu sempre tenho uma solução bem simples. Um restaurante é um negócio e como todo negócio deve ser encarado com tal. A carta de vinhos de um restaurante é um excelente instrumento para alavancar vendas, deixando o cliente satisfeito e encantado. Mas que isso aconteça, devemos encarar o desafio de uma forma prática. Primeiro, se for investir em vinho, faça ...

Astrid & Gastón com Alma 4

Astrid & Gastón, a filial portenha do restaurante peruano mais famoso do mundo. O de Lima foi eleito o 42° melhor restaurante do mundo pelo “The S.Pellegrino World's 50 Best Restaurants Guide 2011. O Experiência Del fin Del Mundo, restaurante conceito da Bodega patagônica homônima, encravado em pleno Palermo, e o Brunch de páscoa do Hotel Alvear. Voltar ao Brunch do Hotel Alvear é semp...

> leia mais

Comentários

Deixe seu comentário