Qual moedor escolher

Uma pergunta que sempre recebo é qual tipo de moedor comprar para se ter em casa. Atualmente, com a difundição dos cafés especiais, está se tornando ainda mais comum. Já vimos em edições passadas que quanto mais recente o café for moído, mais fresco e saboroso ele será. Além disso, a moagem dita o quão boa será sua extração. Diante do exposto, se voce está preocupado em dar um passo a mais na perfeição do sabor na sua xícara, ter um moedor de café é um quesito obrigatório. Cedo ou tarde, um apreciador de café sentirá a necessidade de adquirir seu próprio moinho. Porém, dentre as opções no mercado, qual seria a mais acertada para quem quer preparar um café de melhor qualidade no seu lar ou até mesmo se tornar um home barista? 
 
Os moedores mais comuns e baratos encontrados são os do tipo “blade” ou hélice. Trata-se de elétricos e apresentam uma hélice que batem no grão de café e o quebra em pedaços com violência. Pode-se controlar o grau de moagem pelo tempo que a hélice fica girando. Não há tanta precisão de granulometria, por isso não é o mais indicado para fazer café espresso. No entanto, para extrações que não necessitam de precisão, ele confere ótimos resultados, além de ser muito prático. 
 
Existem, ainda, os moedores do tipo “burr”. Estes fatiam o grão em pequenos grãozinhos. Consistem de duas superfícies com lâminas. Uma superfície gira, enquanto a outra é fixa, e o café fica entre as duas, todavia cortado em pedaços.  O tipo de disposição das lâminas pode ainda ser de dois tipos: moinho “cônico” ou moinho “flat”. Estes alcançam precisão na granulometria muitas vezes até nos modelos mais simples. 
 
O tipo Flat consiste de dois discos, um disposto em cima do outro. A regulagem da moagem ocorre pela aproximacao ou afastamento dos discos. Alguns dos melhores moedores do mundo são flats, porém os que realmente apontam qualidade também são bem caros, o que o torna, geralmente, inacessível. O moedor tipo cônico se apresenta com uma peça em forma de cuba, com lâminas na superfície e, dentro dela, uma outra com formato de diamante, também laminada. O diamante gira, fatiando o grão por si só e contra as paredes da cuba. Este pode ser elétrico, mas também existem muitas opções manuais que são muito utilizadas em  viagens. Existem de todos os preços, pois variam desde o tipo de lâmina (de aço ou cerâmica), até os mais diferentes tamanhos e formas de uso, domésticos e até industriais.  
 
Com um moinho, você poderá variar o grau de moagem. Pois, como já citado, cada método necessita de uma granulometria específica, e o sabor irá modificar drasticamente de um para o outro. Além disso, quando você mói o café, ele começa a liberar seus aromas imediatamente. Claro que o café especial sempre será mais saboroso que o tradicional, mesmo já moído. Mas se você tem o hábito de comprar café especial, você quer que ele tenha o melhor sabor possível. Para se escolher o moedor, deve-se perguntar para qual uso ele será. Para aquela pessoa que quer beber um café coado de manhã, um tipo blade já está ótimo. Para alguém que deseja preparar um espresso de melhor qualidade no escritório, eu recomendaria um Burr cônico elétrico doméstico. Ou aquele viajante que não dispensa um bom café, um moinho cônico manual seria perfeito.
 

Outros Artigos

> leia mais

Comentários

Deixe seu comentário