Quem disse que esse café é bom?

No mundo cafeeiro, para se obter um produto que possa se chamar café especial, deve-se atender a vários requisitos de qualidade, número de defeitos e, principalmente, algumas premissas quanto ao sabor. O café, então, deve ser provado para que consiga ser classificado. O profissional que realiza essa prova e pontuação é chamado Q-grader, termo que vem do inglês, Q de Quality e Grader de classificador. O Q-grader vai muito além de um degustador de café. É uma pessoa capaz de perceber as nuances de sabor de cada diferente tipo de café e conseguir estabelecer um julgamento e padronização, que deve ser adotado e reconhecido mundialmente. 
 
O Q-Grader só pode ser chamado assim após passar por uma série de avaliações promovidas pelo CQI (Coffee Quality Institute), através do programa Q Grader System. Somente após o candidato ser aprovado nesses exames é que ele recebe a sua certificação. São 22 provas aplicadas durante 5 dias, empregando-se o método mundialmente conhecido da SCA (Specialty Coffee Association). Os testes visam a reconhecer se a pessoa está com os sentidos realmente calibrados, segundo o protocolo SCA e se consegue julgar as diferenças entre cafés de até 36 origens diferentes. 
 
O rigor na avaliação vem da busca pela padronização e confiabilidade das classificações emitidas pelos Q-graders. Um café especial aqui do Brasil deve ser reconhecido especial em qualquer lugar do mundo, seja onde ele for degustado ou comercializado. Um café que receba uma pontuação por um Q-grader, na Austrália, de 86 pontos (de 0 a 100), deve receber os mesmos 86 pontos se avaliado por outro do Canadá. Existem, inclusive, cursos preparatórios para os exames. 
 
Aqui no Brasil, já existiam órgãos que coordenavam os testes e homologados pelo CQI, como a universidade de Lavras. Este ano, iniciaram-se os cursos também na Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), maior órgão regulador de cafés especiais no Brasil. O que provavelmente irá aumentar o número desses profissionais no nosso país, a partir da valorização e padronização dos cafés especiais. A BSCA também tem o treinamento preparatório para o próprio curso. E então, se interessou? Entra no site da BSCA e confere lá as oportunidades.
 

Outros Artigos

> leia mais

Comentários

Deixe seu comentário