IN VINO VERITAS

Nesta minha estreia escrevendo sobre vinhos, decidi não abordar uma uva ou vinho específicos, mas sim falar do ritual do vinho e das emoções/sensações que este néctar dos deuses nos causa quando temos a oportunidade de degustá-lo.

 
Para os povos mediterrâneos, o vinho, assim como o azeite, sempre representou status, enquanto a cerveja e a banha animal simbolizavam a barbárie.
 
Existe uma expressão em latim que diz muito sobre a relação homem-vinho: In vino veritas. Traduzindo, “no vinho está a verdade”. Em meio a algumas polêmicas em torno de quem criou esta expressão, se gregos ou romanos, vou preferir os últimos, uma vez que minha formação foi na Itália e serei explicitamente parcial. 
 
E por que a verdade está no vinho?
Alguns povos antigos utilizavam o vinho para extrair segredos de inimigos e falsos amigos. Com alguns cálices oferecidos à vítima, conseguia-se obter segredos (verdades) que nem mesmo o mais cruel torturador seria capaz. 
E quem nunca se pegou entregando algum segredo ao final da sobremesa com algumas garrafas de vinho e amigos ao redor? O vinho remete o homem à inocência infantil e sua sinceridade que um dia todos vivemos. Por outro lado, nos leva a experiências que exigem maturidade sensorial.
 
Nos dias de hoje, apreciamos uma refeição combinada com vinhos, iniciando o ritual com a apresentação e abertura da garrafa. Através da visão, observamos cores e nuances do belo líquido que gira em nossas taças. Seguindo a degustação, passamos ao olfato e paladar. Viajamos em nossa memória tentando encontrar alguma lembrança palato-olfativa de frutos, flores ou especiarias que possam estar presentes no vinho que estamos degustando. Ficamos entusiasmados quando percebemos aromas e sabores sugeridos por um entendedor e, por fim, maravilhados quando vinho e comida casam à perfeição.
 
Aqui vai uma dica para o leitor
Encontrar aromas e sabores em um vinho não depende unicamente de beber com paciência e habitualidade.
 
Procure frequentar feiras livres, mercados, floriculturas e empórios de especiarias para sentir os aromas e experimentar. Como perceber notas de anis ou pimenta em um cálice de vinho tinto se nunca paramos para efetivamente sentir estes perfumes originais? Como identificar um toque de pêssego ou damasco em um bom vinho branco se nunca apreciamos verdadeiramente estes frutos?
 
Com isto, grande parte dos mistérios do vinho estará ao alcance de suas mãos, ou melhor, de seus sentidos.
 
Mas cuidado na dose, porque in vino veritas... 
 
  • Marcelo Ferrari

Outros Artigos

Os vinhos "kiwi" em Natal

Embora ambos os países estejam muito próximos geograficamente, cada um tem seu clima particular e isto reflete diretamente nos vinhos produzidos em cada um deles.   A Austrália tem a maior parte de seus produtores no sudeste do país, onde não é tão quente quanto no norte. Com clima temperado e dias ensolarados, os vinhos são leves e frutados, mas com sabor complexo. São conhec...

Outubro Rosa / Rosé

O rosé é quase uma unanimidade entre as mulheres mundo afora, em especial os espumantes, mas este tipo de vinho, espumante ou não, tem muito a crescer no mercado brasileiro, apesar de ser possível encontrar bons rosés tanto em lojas especializadas quanto em sites de distribuidoras e empórios.   Esta tipologia de vinho pode ser obtida de duas formas, a primeira através da mistura...

Adega ou Supermercado, eis a questão

Com frequência sou questionado nas degustações ou por amigos sobre onde comprar vinhos. Foto: Thyago Macedo / Revista Deguste Pois bem, aqui vão algumas questões que devemos analisar para decidir quando comprar em uma loja especializada (adega, empório, distribuidora de bebidas) ou em um supermercado:   1) Preço ...

O Vinho e o Chocolate

Alguns anos atrás, falar em combinar vinho e chocolate seria quase uma “heresia” para a maioria dos expertos, mas como os conceitos de harmonização vêm mudando constantemente, hoje em dia já não é mais um absurdo. Na verdade, existe uma gama de produtores de chocolate, principalmente na Europa, que está investindo em parcerias com vinícolas para divulgar a harmonização destes pro...

> leia mais

Comentários

  • Deguste
    Emílio Hipólito disse:

    Texto objetivo e narrativa empolgante. Vou pensar melhor agora com que turma beber tanto vinho...rs. Abraço e sucesso

    Responder
  • Deguste
    elizangela disse:

    Parabéns pela material, meu marido e eu adoramos todo o ritual que envolve o vinho. Gostaria de saber se você pode ajudar na nossa busca para encontrar um clube ou grupo do vinho em Natal.

    Responder
    • Deguste
      marcelo ferrari disse:

      cara elisangela, em natal existem varias confrarias de amantes de vinho, assim como sempre temos degustacoes sendo organizadas por distribuidores e lojistas de vinhos, aqui na deguste vc pode seguir o calendario de degustacoes. minha dica é que vc procure por confraria de vinho no google e pesquise na cidade de natal em especial. abracos marcelo ferrari

      Responder

Deixe seu comentário