In Vino Veritas

Os vinhos "kiwi" em Natal

São chamados de “vinhos Kiwi” aqueles produzidos na Austrália e Nova Zelândia, países da Oceania, continente localizado no hemisfério sul do planeta. A razão do apelido é porque neste território existe uma pequena ave de nome Kiwi e também o fruto, já nosso conhecido nas gôndolas dos supermercados e feiras de rua.

Embora ambos os países estejam muito próximos geograficamente, cada um tem seu clima particular e isto reflete diretamente nos vinhos produzidos em cada um deles.
 
A Austrália tem a maior parte de seus produtores no sudeste do país, onde não é tão quente quanto no norte. Com clima temperado e dias ensolarados, os vinhos são leves e frutados, mas com sabor complexo. São conhecidos como vinhos amigáveis ao paladar e populares ao gosto dos iniciantes no “mundo do vinho”, tornando-se com isso um sucesso de vendas no mundo todo.
 
Vale salientar, porém, que também existem (e não são raros) vinhos australianos para serem mantidos em adega por décadas antes de consumidos.
As variedades mais produzidas na Austrália são: Chardonnay, Sémillon e Riesling para vinhos brancos; Syrah, Cabernet Sauvignon e Merlot para os tintos. Em minha opinião, os melhores tintos australianos são os Syrah, variedade de uva vinda do Vale do Rhône, na França.
 
A Nova Zelândia, apesar da proximidade com a Austrália, tem clima mais frio em função de correntes frias provenientes da Antártida. Se considerarmos a latitude como parâmetro, os vinhos neozelandeses deveriam se assemelhar aos espanhóis, mas na verdade, castas francesas se adaptaram melhor ao clima deste pequeno país formado por duas grandes ilhas. A “Ilha Norte” é de clima subtropical, com invernos amenos e calor no verão e a “Ilha Sul”, com invernos muito frios e verões com temperaturas mais baixas.
 
Famosa por seus vinhos brancos, em especial Sauvignon Blanc e Chardonnay, a Nova Zelândia também tem no mercado alguns ótimos tintos, principalmente Cabernet Sauvignon e Merlot.
 
Abaixo, temos alguns exemplos de vinhos kiwi que encontramos nos empórios, adegas e restaurantes de Natal:
 
AUSTRÁLIA
 
1- Tatachilla Partners – Cabernet Syrah – este é um bom começo para quem está conhecendo os vinhos que contêm a variedade Syrah. É de um vermelho intenso que lembra a coloração de cereja madura; na boca, tem notas de frutos silvestres escuros como a amora e é possível sentir um final aveludado que lembra canela. Ótimo harmonizado com filé e risoto de cogumelos.
 
2- Westend Estate – Down Under – Chardonnay – de coloração amarelo palha, este Chardonnay tem notas de pêssego, melão e limão siciliano em conjunto harmonioso e notas levemente apimentadas que derivam de sua passagem em tonel de carvalho. Com média complexidade e boa persistência no paladar, este vinho combina com peixes e aves acompanhados de molhos leves ou simplesmente regados com um bom azeite.
 
NOVA ZELÂNDIA
 
1- Craggy Range – TE KAHU – este vinho tinto é o resultado de um “assemblage” (mistura) de Merlot, Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon e Malbec. É proveniente da Baia “Hawkes”, onde estão 80% dos vinhedos das variedades listadas acima na Nova Zelândia. De coloração rubi intensa, apresenta no paladar notas de ameixa e cereja, além de especiarias como canela e tomilho que derivam do seu tempo repousado em tonéis de carvalho. Harmoniza com carnes suculentas e molhos importantes em razão da presença considerável de tanino.
 
2- Wild Rock – The Infamous Goose – Sauvignon Blanc – proveniente da região conhecida como Marlborough, considerada a casa da variedade Sauvignon Blanc no “Novo Mundo”, este vinho tem cor amarelo palha com muitas notas cítricas e boa acidez, devido à proximidade do litoral. Como não poderia ser diferente, harmoniza com frutos do mar. Sugiro salmão ao molho de maracujá e salada de folhas crocantes como boa opção de harmonização.
 
Pesquisar, perguntar e persistir nas degustações são essenciais para conhecer cada vez mais o mundo dos vinhos e apreciar suas variáveis, mas de forma comedida, pois o álcool está sempre presente e a história demonstra que IN VINO VERITAS...
 
  • Marcelo Ferrari

Outubro Rosa / Rosé

Adega ou Supermercado, eis a questão

O Vinho e o Chocolate

Escolhendo vinho

Desvendando o rótulo (Parte I ? Velho Mundo)

Varietais, um bom começo!!

IN VINO VERITAS