Papo de Botequim

A Feira

 

 
Basta só procurar
Na feira de tudo tem
Um muito por quase nada
Um nada por quase cem
Tem ovo de codorna
De galinha, ganso e pata
Cachaça de todo tipo
Coalhada, manteiga e nata
 
Tem cocada e alfinin
Tem cavaco chinês
Tem chá de cabacinha
Pra menstruá todo mês
Tem queijo, carne de sol
Tem cabresto pra jumento
Aluguel de roupa usada
Que dá pra qualquer evento
 
Tem gravata, paletó
Vestido pra casamento
Tem consulta com vidente
Tem cigana lendo a mão
Um forró bem animado
Rapariga de plantão
Capim santo, erva cidreira
 
Tem romã e tem jiló
Tem raiz de todo tipo
Canela em pau e em pó
Caldo quente pra ressaca
Chá pra qualquer doença
 
Tem raiz que só não cura
Imbuança e desavença
Tem o beco da troca
Onde acontece de tudo
Quem não tem o que trocar
Entra calado e sai mudo
 
Tem sebo e tem brechó
Tem cultura de cordel
Tem pirulito, geléia
Bem servida num papel
Refresco com raspadinha
Pra acompanhar o pastel
 
Tem até calcinha usada
Pendurada num varal
E se já vier furada
Três só custa um real
Tem cangalha, tem cambito
Tem caçuá e uru
Mel de abelha italiana
Jandaíra e Uruçu
Lá na feira tem de tudo
 
Tem de muito e tem de sobra
Tem até freio pra gato
E suspensório pra cobra
Tem faca cega com corte
Flor de plástico que cheira
Lamparina que dá choque
Pra alumiar a cegueira
Tem canivete, serrote
Cabra froxo cum peixeira
O costume e a cultura
Tá tudo exposto na feira
 

Fã de Botequim

Inspiração

Adoro Mesa de Bar

Ser moderno é complicado