Não vai nem provar?

Papo Café - Ricardo Sousa

Compartilhe:

18/07/2019 - 06h10

 

Gosto é algo pessoal, bem sei disso. Cada um tem as suas preferências, e isso é ótimo, por nos tornar únicos. Mas o que me intriga é o preconceito, ou trauma que algumas pessoas apontam sobre certa comida ou bebida. Aquele “nunca provei, porém sei que não gosto”, ou o “já provei uma vez e não gosto”. Isso me deixa estupefato, em especial, quando se fala de café, pois é o tema desta coluna. Ainda mais por saber que não é culpa da pessoa, todavia, da forma que lhe foi apresentado o café.

Um dia, conversando com um colega, ele me disse, meio tímido, já esperando uma repreensão, que não gostava de café. Geralmente, é assim que me passam essa informação, com um misto de desconforto e receio. Talvez por saberem da minha paixão pela bebida. Prontamente, respondi que também não gostava daquele café amargo que ele já provara e que, certamente, eram horríveis. A expressão de alívio por não ter que ouvir um sermão foi evidente. Apenas perguntei se já havia experimentado café especial. Diante da negativa resposta, emendei: você deveria tentar.

Continuei preparando meu cafezinho, como sempre. E um dia, ele veio me pedir para experimentar. Resultado, hoje ele participa de um clube de assinatura de cafés especiais pela internet. Tem seu próprio moedor de café e acabou de comprar uma Hario V60. Infelizmente, nossa herança cultural com o café não foi o apreço pela qualidade e nos deixou acostumados com o café tradicional, aquela bebida amarga, preta como petróleo. E que é, na maioria das vezes, ingerida para suprir o vício em cafeína, ou por hábito.

Realmente, o café tradicional, em termos de qualidade, não é uma boa bebida e ninguém é obrigado a gostar. Porém, é bom dar uma chance para os outros tipos de cafés, como aqueles que fogem totalmente da lembrança do tradicional amargo, e que apresenta notas de frutas, flores, ervas, etc. Acredito que possa existir, entre tantos, café para agradar os mais diversos paladares. E a experiência demonstra que os melhores bebedores de cafés especiais são justamente aquelas pessoas que, inicialmente, não gostavam de café (no caso o tradicional). Por isso, quando me falam, não gosto de café, eu logo penso, você não conhece café.