Instituto Brasileiro de Vinhos realiza mostra de vinhos nacionais em Natal

Fotos: Rogério Vital / Deguste

Natal recebeu pela primeira vez, nesta terça-feira (17), o circuito do Instituto Brasileiro de Vinhos (Ibravin). Uma mostra com mais de 100 produtos e representantes de 15 vinícolas de seis diferentes áreas produtoras do Brasil foi realizada no Ocean Palace, na Via Costeira, nem como palestras sobre o mundo da enologia.

Clique aqui e veja mais fotos do evento!
 

 
O evento atraiu proprietários de restaurantes, empresários de outros segmentos e amantes do vinho. Diego Bertolini, gerente de marketing da Ibravin, esteve em Natal. Ele disse para a Deguste que a capital potiguar foi escolhida justamente por vir se destacando no consumo de vinhos, nos últimos anos.

 
“Neste ano escolhemos 12 capitais e apostamos em Natal por alguns motivos específicos. O primeiro deles é que o mercado enogastronomico aqui tem se desenvolvido muito bem. Além disso, a cidade é uma das mais turísticas do Brasil, então, nada mais justo do que os estabelecimentos daqui terem vinhos brasileiros para apresentar aos estrangeiros”, comenta.


Ainda de acordo com Diego Bertolini, o Brasil é hoje um produtor de vinhos de qualidade, no entanto, os próprios brasileiros ainda têm preconceito. “Nossos vinhos já conquistaram o mercado internacional, tanto que nós temos catalogado mais de 2.400 medalhas concedidas à vinhos brasileiros em competições de outros países”, completa.
 
Nessa mostra da Ibravin, foram trazidos para Natal produtos de vinícolas do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e do Vale do São Francisco. Um dos destaques do evento foi a linha Faces, da Lídio Carraro. A vinícola foi escolhida pela FIFA para desenvolver o vinho da Copa do Mundo 2014 e criou a linha Faces exclusivamente para isso.

 
Juliano Carraro, representante da vinícola, explica que foi feito um processo seletivo, levando em conta várias exigências até que a FIFA escolhesse uma vinícola. “A linha Faces tem vinho branco, rosé e o tinto. Este último foi feito a partir da combinação de 11 uvas, simbolizando a escalação de um time de futebol”, afirma Juliano.

 
Outro vinho que estava na exposição era o DNA99, da Pizzato. Caroline Dachery, executiva de vendas, destaca que esse vinho tem sido apontado como um dos melhores da América Latina, na sua categoria. “Ele é feito com uva Merlot e tem como origem um vinho produzido pela Pizzato em 1999, feito exclusivamente com Merlot, o que na época gerou desconfiança, mas provou-se que era possível ter qualidade nesse produto. Em 2005, a vinícola conseguiu uma colheita bem próxima aquela de 1999 e, por isso, decidiu criar o DNA 99, em alusão à primeira safra do vinho Merlot”.

 
O circuito do Instituto Brasileiro de Vinhos (Ibravin) contou com apoio em Natal da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-RN), bem como de algumas lojas de vinhos da capital potiguar. Uma das palestrantes do evento foi Deise Novakoski, que é sommelière e uma das principais colunistas de vinho do Brasil.

Comentários

  • Deguste
    George Câmara disse:

    Não houve uma ampla divulgação deste evento, ele foi restrito a uma classe? Acredito que se Natal foi escolhida pela verticalização e horizontalização do consumo de vinhos nacionais e importados, as vinícolas nacionais deveriam preocupar-se mais com esta fatia de novos consumidores. Na minha época tratávamos isso como consolidação de consumo. De qualquer forma, parabenizo pela iniciativa George Câmara, Ex-funcionário da Divisão de Marketing da Coca cola brasil.

    Responder

Deixe seu comentário

voltar <