Festival Gastronômico de Maracajaú reúne amigos que adoram cozinhar

Fotos: Rogério Vital / Deguste

“A mesa é a alcoviteira da amizade”, já dizia Eça de Queiroz. Para um grupo de amigos, esta frase é levada ao pé da letra, todos os anos. Já virou tradição em janeiro: veraneio é sinônimo de Festival Gastronômico de Maracajaú, na casa de praia da procuradora Leila da Cunha Lima. Há seis anos, ela e seus amigos, fanáticos pela boa mesa, formaram um grupo – o Gafe do Sabor -, que se reúne, no verão, para eleger os melhores pratos, criado por convidados, nas categorias “entrada”, “prato principal” e “sobremesa”.

Vencedor geral do festival, Undário Andrade (centro), recebendo a premiação 
 
A maioria dos participantes são algumas das figuras mais importantes do Judiciário potiguar, que tem a gastronomia como hobby, mas, nesta sexta edição, chefs profissionais também integraram o concurso. Eles capricharam na apresentação, no sabor e na criatividade para obter a nota máxima do júri composto pelo juíz Marco Bruno, a procuradora do Estado Magna Letícia, o procurador de Justiça Manoel Onofre Neto, Elke Cunha, a própria Leila e esta repórter da Revista Deguste. Os “cozinheiros de final de semana” também passaram pelo crivo do júri popular, composto por diversos convidados, presentes ao evento.


Na categoria “Entrada”, concorreram a advogada Luiza Azevedo, com o prato “Mergulho no Mar de Maracajaú”, uma delicada quiche de lagosta e camarões, com molho pesto de manjericão, pimentões coloridos e castanhas; o empresário Militão Chaves, com seu “Tartar quente de frutos e frutas”, com polvo, camarão e manga, coberto com farofa de coco e raspas de limão, acompanhado de redução de seriguela; e o procurador, com formação também em gastronomia, João Coque, e seu preciso e envolvente “Atum grelhado com carpaccio de trufas negras”. Coque levou a melhor e assinou a entrada vencedora, impressionando os jurados.


Tentando fazer o melhor “prato principal”, a advogada Fabiana Farias, que preparou o “Arroz de camarão Punaú”, arroz da terra integral com limão siciliano e alho poró, com uma apresentação muito criativa, no formato de um caranguejo; o químico Avelino Cavalcanti e sua “Nobre Sinfonia”, composta de uma lula recheada de camarão, lagosta e peixe (badejo), ao curry e manteiga ao tartufo; e o chef de cozinha paquistanês Khurm Shaheen, com o prato “Holanda e Maracajaú” - bacalhau ao molho de tamarindo, curry e ervas indianas, que arrancou suspiros dos julgadores e foi o número 1 na categoria.


Na categoria “sobremesa” – a mais disputada desta edição do festival -, o combate gastronômico foi entre os já vencedores de outras edições, o juiz Undário Andrade e o consultor geral do Estado José Marcelo Ferreira, e a chef Thaiane Azevedo.  José Marcelo mostrou, mais uma vez, seu talento com a sobremesa tripla “Chocolate”, que incluiu mini pêra com calda de framboesa, mirtilo e coco, bolo de vinho com recheio de gengibre e calda de chocolate amargo orgânico e foie gras com massa de banana verde com cacau e doce de figo e morango. Thaiane apresentou o “Pudim de tapioca tropicaliente” - tapioca granulada com coco e mix de frutas tropicais, marinadas no licor de cassis e no vinho branco seco, com redução de geléia de maracujá.

 
Undário também conseguiu muitos elogios com sua sobremesa “Velha Infância”, à base de umbu e com direito à trilha sonora dos Tribalistas – panna cota com calda de umbu, melaço de engenho e flor de sal, escoltada por farofa de biscoito e castanha. E o domingo foi dele, que, com a maior pontuação, levou não somente o prêmio de “melhor sobremesa” como também o de vencedor do festival. “Para mim, participar desse festival é um crescimento e um desafio. Sou amante da gastronomia. O que mais me traz paz interior é a panela e o fogão”, relatou o campeão 2014.

A procuradora Leia Cunha Lima é a organizadora do Festival de Maracajaú

júri popular também o escolheu como primeiro colocado, seguido de Fabiana Farias. Todos tentaram, ao máximo, expressar entre pitadas e mexidas, o que sintetizou Mia Couto: “Cozinhar é uma forma de amar os outros”. E conseguiram!

 
Influenciada pela frase de seu pai, o escritor e imortal Diógenes da Cunha Lima, “A boa mesa faz o coração feliz”, a anfitriã Leila – que respira literatura e arte -, como sempre, primou pelos detalhes: as premiações foram travessas exclusivas, pintadas com frases dos escritores Mia Couto, Diógenes da Cunha Lima e Eça de Queiroz, relacionadas com a gastronomia e citadas nesta reportagem.
 
Vencedores do 6º Festival Gastronômico de Maracajaú
 
Categoria “Entrada”
1º lugar: João Coque, com o prato “Atum grelhado com carpaccio de trufas negras”
2º lugar: Militão Chaves, com o “Tartar quente de frutos e frutas”
3º lugar: Luiza Azevedo, com o “Mergulho no Mar de Maracajaú”
 
Categoria “Prato Principal”
1º lugar: Khurm Shaheen, com o prato “Holanda e Maracajaú”
2º lugar: Avelino Cavalcanti, com o “Nobre Sinfonia”
3º lugar: Fabiana Farias, com o “Arroz de camarão Punaú”
 
Categoria “Sobremesa”
1º lugar: Undário Andrade, com o prato “Velha Infância”
2º lugar: Thaiane Azevedo, com o “Pudim de tapioca tropicaliente”
3º lugar: José Marcelo Ferreira, com o “Chocolate”
 
Júri popular
1º lugar: Undário Andrade
2º lugar: Fabiana Farias
 
Vencedor Geral: Undário Andrade

Comentários

Deixe seu comentário

voltar <